Um dos alimentos mais famosos do mundo, a pizza se espalhou pelos cinco continentes com aceitação unânime! Mas depois de tanto tempo e mudanças, ainda existem pessoa que querem preservar as raízes da pizza Napolitana tradicional!

Você também poderá gostar:

Culinária típica da Emilia Romagna!

5 dicas para comer na Itália!

Receita do Aperol Spritz: o tradicional drink Italiano!

Aula de culinária na Toscana!

A História da Pizza

Existe uma certa discussão a respeito das origens da pizza. Alguns historiadores atribuam sua criação aos egípcios, que há 6 mil anos já preparavam uma massa assada muito rudimentar feita a partir de farinha e água. Outros dizem que foram os gregos que criaram o ancestral da pizza moderna, ao fazer discos de massa a base de arroz ou trigo. Estes foram posteriormente levados à Itália, onde foram popularizados entre as classes mais pobres, até começarem a ganhar fama pelo país!

Na Itália, a pizza era um prato simples, onde as pessoas pobres do sul da Itália cobriam discos de massa com o que tivessem à disposição, como linguiça ou ovos. Os Napolitanos começaram a acrescentar molho de tomate e orégano à massa, além de queijo, quando possível.

Acredita-se que por volta do século XVI a pizza começou a ser apreciada também pelos nobres Napolitanos, que faziam versões com ingredientes mais refinados e caros.

Margherita

Hoje temos centenas de coberturas para nossas pizzas, mas a primeira pizza cuja cobertura foi “oficializada” foi a Pizza Margherita. Em 1889, o Rei Umberto I e sua rainha, Margarida (Margherita) de Saboia, ao passarem por Nápoles, quiseram experimentar uma pizza que haviam visto numa pizzaria napolitana. Como membros da realeza, não iriam se dignar a ir para um restaurante com os plebeus, então demandaram que fosse entregue uma pizza à eles em suas acomodações.

Rainha Margherita de Saboia

Além de ser provavelmente um dos primeiros episódios de delivery de pizza da história, a pizza que representava as cores da Itália com com manjericão, molho de tomate e queijo agradou tanto a rainha que o pizzaiolo perguntou se poderia batizar aquela pizza de Margherita, em homenagem a ela.

A tradição de Nápoles

A primeira Pizzaria da história foi aberta em Nápoles, em 1830, tornando a cidade uma espécie de referência global para o feitio de Pizzas. A partir de lá, as pizzas começaram a se espalhar pelo mundo afora, ganhando popularidade e muita variedade de sabores e de métodos de preparo!

Na década de 80, alguns pizzaiolos napolitanos começaram a ver toda esta diversidade de sabores e perceberam que a receita da pizza tradicional de Nápoles poderia se perder com o tempo. Para resguardar suas tradições e para incentivar o feitio de pizzas tradicionais napolitanas, foi criada a AVPN em 1984, a Associazione Verace Pizza Napoletana (Associação Verdadeira Pizza Napolitana).

Confira o site da AVPN. CLIQUE AQUI!

O intuito da associação era proteger a receita tradicional da pizza, além de certificar pizzarias com o selo da AVPN. O selo é dado à pizzarias cujos ingredientes, receitas e método de preparo condizem com os padrões da associação para a Tradicional Pizza Napolitana, uma vez que estes tenham sidos checados pela AVPN.

Existem mais de 800 pizzarias no mundo com o selo da AVPN, 8 delas no Brasil, até o ano de 2019.

Você pode conferir a lista completa ou pesquisar pizzarias em uma determinada região clicando aqui.

Receita

Segue aqui a receita da pizza tradicional Italiana, retirada diretamente do Site da AVPN!

A receita é para uma porção de 10 pizzas, que pode ser feita em menor escala, apesar de ficar um pouco mais difícil de preparar em porções pequenas.

Para a massa

-1 litro de água morna

– 50-55 gramas de sal

– 3 gramas de fermento biológico

– 1700 gramas de farinha.

Preparo:

Numa batedeira de massa, ponha a água, o sal e um décimo da sua porção total de farinha. Acrescente o fermento e comece a bater devagar enquanto acrescenta o restante da farinha. A operação deve durar cerca de 10 minutos.

Caso não tenha uma batedeira apropriada para bater massa, a técnica do vulcãozinho de farinha é a mais apropriada, onde você faz um montinho de farinha com um buraco no meio e pouco a pouco despeja água neste buraco enquanto a agrega à massa.

Para o primeiro ciclo de fermentação, deixe a massa descansar por 2 horas. Em seguida, faça bolas de massa com cerca de 200 gramas cada. Estas bolinhas são chamadas de “panetto”. Os panettos devem descansar por mais 6 horas, num com aproximadamente 25°C.

Depois do segundo ciclo de fermentação, a massa pode ser aberta. Isso deve ser feito com as mãos, trabalhando com os dedos e as palmas das mãos, em movimentos do centro para as bordas.

Cobertura

Para cobrir sua pizza tradicional napolitana, você deve usar apenas ingredientes da região da Campania, da Itália, como linguiça, molho de tomates, azeite extra virgem e queijo mozzarela. Estes foram os primeiros ingredientes usados para se fazer pizza em Nápoles

A pizza precisa ser assada em um forno à lenha com temperaturas entre 430 e 480 °C. Com estas temperaturas, basta deixar sua pizza de 60 a 90 segundos no forno para ela assar por completo.

Estas são as diretrizes oficiais da associação para se criar uma pizza napolitana tradicionalíssima. Sinta-se livre para fazer mudanças no processo e criar a sua receita tradicional de pizza! Só acho que não vai conseguir o selo da AVPN! Hahaha!

E aí, deu vontade de comer uma pizza?

Leia também:

Onde comer em Roma?

Aula de culinária em Florença com Anna Bini

Gostou deste post? Salve ele no seu Pinterest!

Compartilhe!

Sobre o autor

Avatar

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

Deixe uma Resposta