Considero um milagre A Última Ceia, uma das obras mais famosas do gênio Leonardo Da Vinci, ter chegado até os dias de hoje.

Seus problemas começaram pouco após sua finalização, quando algumas rachaduras já foram notadas. Mas isso não foi nada comparado aos demais infortúnios que ela teve que suportar: umidade, bombardeios, tempestades de verão foram somente alguns dos perigos que esta obra prima enfrentou.

A Última Ceia

ultima-ceia-3

Construída a pedido do então Duque de Milão Ludovico Sforza, a obra foi realizada em três anos (entre os anos de 1495 e 1498) para decorar uma das paredes do refeitório do monastério de frades dominicanos de Santa Maria delle Grazie.

A Santa Ceia foi retratada em inúmeras obras, desde as pinturas nas catacumbas dos séculos V e VI até mais recentemente em obras de  Andrea del Castagno, Ghirlandaio e Perugino. Mas tais obras sempre representavam a história da Eucaristia, onde Jesus e seus 12 apóstolos estão colocados  à mesa de jantar enquanto Cristo prepara a oferta do pão e do vinho consagrados. Os personagens são estáticos e sem emoção.

Mas Da Vinci não é um artista comum e decidiu quebrar a tradição, inovando na composição da cena. Fundiu a cerimônia da Eucaristia com o exato momento em que Jesus anuncia:

“Na verdade vos digo que um de vós me trairá”.

O resultado é o retrato dinâmico das emoções de cada um dos apóstolos ao receber tão trágica notícia.

Podemos perceber, por exemplo, que Felipe coloca a mão no peito, alegando inocência e Tiago gesticula com indignação. Genial!

A Última Ceia não é afresco!

A Última Ceia foi pintada usando uma técnica experimental. Em vez de aplicar pigmento ao gesso úmido, como acontece na técnica de afresco, Leonardo decidiu aplicar a técnica da têmpera, que consistia em misturar pigmentos coloridos com gema de ovo e aplica-la sobre o gesso seco.

A técnica utilizada, entretanto, não se demonstrou ser das melhores. Em menos de 20 anos a superfície pintada já mostrava sinais de deterioração. Em 1726 aconteceu  primeira de uma séries de restaurações e intervenções bem intencionadas, muitas vezes ineficazes e até mesmo prejudiciais.

A última restauração durou 20 anos (1977-1999) e conseguiu trazer a beleza de volta à pintura de Leonardo; mesmo assim, ela não está intacta…

Mais problemas…

ultima-ceia-1

O refeitório do monastério após o bombardeio – A Última Ceia de Leonardo Da Vinci

Em 15 de agosto de 1943, durante os bombardeios dos Lancasters na segunda Guerra Mundial, uma bomba atingiu o refeitório do monastério, mas a parede dedicada à Santa Ceia permaneceu de pé.

Uma precaução tomada pelos funcionários encarregados da preservação do patrimônio artístico talvez tenha impedido que a parede  viesse abaixo. Em 1940, preocupados com a real possibilidade de bombardeios naquela zona, instalaram sacos de areia, andaimes de pinho e escoras de metal de ambos os lados da parede do refeitório. Foi isso que a salvou… Ou um milagre!

Depois disso ainda ficou alguns anos sem proteção, a mercê das intempéries climáticas, até que o complexo de Santa Maria delle Grazie fosse reconstruído.

Minha experiência

Eu esperava que fosse uma obra chocante e com uma carga emocional muito forte…Me preparei para isso. Mas nenhuma expectativa chegou perto do que eu senti quando me vi frente a frente com aquela pintura de 9m x 4,5m.

Foi como se um choque percorresse meu corpo da sola dos pés até até o topo da cabeça, subindo e descendo incessantemente. A veracidade e força da obra me paralisaram e eu passei os 15 minutos permitidos para ficar dentro da sala contemplando aquela maravilha e tentando não perder nenhum detalhe.

Na saída, me virei para contemplar, na parede oposta, a obra “Crucificação” de Giovanni D. Montorfano, que é sim linda e maravilhosa, mas que deu o azar de estar na parede oposta à obre prima de Da Vinci.

ultima-ceia-2

À direita, entrada para a igreja de Santa Maria delle Grazie e ao lado a entrada para a Última Ceia

banner-afiliados

Na prática

É uma tarefa árdua conseguir ingressos para visitar o Cenacolo Vinciano. Os ingressos começam a ser vendidos com dois meses de antecedência, mas consegui-los pelo site oficial é muito difícil, pois esgotam-se rapidamente. Consulte o site com frequência para saber quando as vendas para a data que você quer estarão abertas e, quando for a hora, esteja na frente do computador!

Site oficial: www.cenacolovinciano.net
Alternativa para a  compra do ingresso, clique aqui ou aqui.
Ingresso: 8 Euros + 3,50 Euros para a audioguida (muito recomendável)
Endereço: Piazza Santa Maria delle Grazie, 2
Como chegar: Metrô linha 1 parada Conciliazione, metrô linha 2 parada Cadorna ou tram n° 16 parada Santa Maria delle Grazie (Corso Magenta)

Leia também:

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

3 Comentários

    • Ana Grassi on

      Bianca, Milão tem segredos maravilhosos guardados! Sempre vale a pena…
      Baci,
      Ana

Deixe uma Resposta