A Milão de Leonardo da Vinci – Os 20 anos mais produtivos da vida de Leonardo Da Vinci foram passados em Milão. E foi a corte de Ludovico Il Moro que se refestelou na prodigalidade deste Gênio e encomendou várias de suas obras. Confira!

Aos 30 anos (1482), Leonardo deixa a Florença de Lorenzo Il Magnifico e chega à Milão, tradicional aliada de Florença na guerra contra Veneza. O motivo de sua transferência é uma incógnita, mas o que se sabe com certeza é que Leonardo chega com recomendações de que era um excelente engenheiro militar e que poderia ajudar muito na guerra contra Veneza, que estava acontecendo naquele período.

leonardo-scala

Vista da estátua de Leonardo da Vinci, na Piazza Scala, vista de dentro da Galleria Vittorio Emanuele

Lorenzo falou pouco de seus dotes artísticos e do que ele era capaz de fazer em tempos de paz, mas foi justamente o último parágrafo da carta contando brevemente “o que ele poderia fazer em tempos de guerra” que fisgou a atenção de Ludovico, chefe da dinastia Sforza.

Graças a esse fato, podemos hoje admirar em Milão muito de sua herança artística. Aqui estão listadas as principais.

A Última Ceia (Cenacolo Vinciano)

cenacolo

Visitas escolares acontecendo no Cenacolo Vinciano

cenacolo (1)

Cenacolo Vinciano (foto: Wikipedia Commons)

A obra prima de Leonardo, ao contrário do que muitos pensam, não é um afresco! É têmpera na parede, uma técnica de pintura muito menos resistente.

A representação da última ceia de Jesus com seus apóstolos foi pintada em 4 anos (1494-1498) na parede do refeitório do Convento dominicano de Santa Maria delle Grazie e mede 6,60m x 8,80 m.

Os ingressos para visitar a obra devem ser comprados com antecedêndia, pois o número diário de pessoas que podem visita-la é reduzido.

Compre antecipadamente o ingresso para a Última Ceia aqui

Leia o post da Última Ceia aqui!

 

La Casa degli Atellani (o vinhedo de Leonardo)

vigna-di-leonardo-esterno

Os vinhedos da casa degli Atellani – Vinhedos de Leonardo

Depois de visitar a Útima Ceia, atravesse a rua para conhecer a paixão secreta de Leonardo: seu próprio vinhedo. A vila foi um presente da família Sforza.

Durante 11 anos vários enólogos estudaram e se esforçaram para recriar o vinhedo com as mesmas uvas que Leonardo cultivava!

Atenção: a reserva é obrigatória!

Pinacoteca Ambrosiana

eu-ambrosiana

Entrada da Pinacoteca Ambrosiana, onde está o Código Atlântico

Dentro da Biblioteca estão algumas das obras de Leonardo:

Código Atlântico(1478-1518): a maior coleção de desenhos e anotações de Leonardo, com 1119 folhas e 12 volumes, representando estudos nas áreas de arquitetura, hidráulica, mecânica, geometria e matemática. São 88 folhas em exposição.

codice-atlantico

Código Atlântico (Foto: Wikipedia Commons)

Retrato de Músico (1485) : uma pintura que até o século XIX entendeu-se que era o retrato de Ludovico, mas que após a restauração pode-se identificar uma partitura musical na mão do personagem e hoje acredita-se que o personagem é Franchino Gaffurio (maestro do Duomo de Milão na época) ou Migliorotti (amigo músico do artista);

ritratto-musico

Retrato de Músico (Foto: Wikipedia Commons)

Retrato de uma dama (1490-1495): ninguém sabe quem é a mulher retratada, mas diz-se que poderia ser tanto a esposa de Ludovico – Beatrice d’Este – como sua amante – Lucrezia Crivelli.

La Belle Ferronnière

La Belle Ferronnière (Foto: Wikipedia Commons)

Castello Sforzesco

castelo

Castello Sforzesco

Sala delle Asse (1498), uma das salas onde Ludovico se reunia com pessoas importantes da época (1498) foi completamente afrescada por Leonardo. Somente em 1893 um estudioso alemão descobriu o que havia por baixo de tanta sujeira e identificou a obra como sendo do gênio.

Código Trivulziano (1479-1490), uma coleção de 55 páginas de anotações do artista sobre arquitetura militar e religiosa pode ser vista e folheada (digitalmente), na Biblioteca Trivulziana, um dos museus do castelo.

Museo nazionale della scienza e della tecnologia

Uma sessão inteira do museu é dedicada à exposição de 130 modelos construídos a partir dos desenhos e estudos de Leonardo.

Navigli de Milão e Conca dell’Incoronata

Conca dell'Incoronata

Conca dell’ Incoronata (Foto: Wikipedia Commons)

Navigli_Milano_Martesana_La_Conca_dell'Incoronata02

Conca dell’Incoronata hoje

Navigli são os canais artificiais criados para que Milão tivesse acesso a 2 rios da região: Adda e Ticinese. Leonardo projetou um sistema de barragens que tornou acessível a navegação e neutralizou a diferença de altura do território.

Pode-se ver ainda andar às margens de 2 destes canais: Naviglio Grande e Naviglio Pavese e ver uma destas barragens, chamada Conca dell’Incoronata e que fazia parte do Naviglio Martesana, que já não existe mais.

Na prática

Museo del Cenacolo Vinciano
Piazza Santa Maria delle Grazie
site: www.cenacolovinciano.net
Ingressos: 8 Euros

La casa degli Atellani (os vinhedos de Leonardo)
Corso Magenta, 65
site: www.vignadileonardo.com/
Ingressos: 10 Euros – reserva obrigatória

Pinacoteca Ambrosiana
Piazza Pio XI, 2
Site: www.ambrosiana.eu
Ingresso: a partir de 15 Euros

Castello Sforzesco
Piazza Castello
Site: www.milanocastello.it
Ingresso: 5 Euros e dá direito a entrar nos outros museus do castelo

Museo Nazionale della Scienza e della Tecnologia
Via San Vittore, 21
Site: www.museoscienza.org/
Ingresso: 10 Euros

Conca dell’Incoronata
Via San Marco



Booking.com

Alguns links do post encaminham os leitores para produtos de parceiros do blog. Para saber mais sobre a Política de Monetização do blog, clique aqui.

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

9 Comentários

  1. Sou do time que achava que a Última Ceia era um afresco… tsc…tsc… Espero um dia poder ver esta obra de perto também!

    • Ana Grassi on

      Sim…muita gente acha! Vale a pena ve-la de perto, principalmente agora que está restaurada!
      Baci,
      Ana

  2. Que demais esse roteiro!
    Desses lugares todos, só conheci o Sforzesco, que achei lindo demais.
    Preciso voltar pra Milão com mais calma e aproveitar mais!

Deixe uma Resposta