A Puglia é a região do salto da “bota” e o Parque do Gargano está localizado bem na espora da bota, na província de Foggia. É bem caracterizada pelas cidadezinhas charmosas, mas o grande destaque é sem dúvidas o Parque Nacional do Gargano.

Nesse post, vou escrever sobre esse belíssimo parque, que é uma área protegida por vezes esquecida pelos roteiros mais tradicionais.

Você também poderá gostar:

História do leitor: Um roteiro pela Puglia!

Como fazer sua mala de verão para a Itália!

Os lagos mais bonitos da Itália!

O Gargano é um cabo de rochas com vários picos que se desdobra em direção ao mar. São quase 120 mil hectares de uma bela natureza preservada.

Por ali, a Floresta Umbra encanta por sua conhecida diversidade natural. Inclusive, foi reconhecida como patrimônio da humanidade pela Unesco.

Além da floresta, a região também tem cidadezinhas muito charmosas, com praias que valem muito a pena. É o caso de Vieste, Peschici e Manfredonia.

Vou falar um pouco sobre cada uma delas e mostrar como o Gargano é uma região que merece muito sua atenção.

Manfredonia

Essa cidadezinha é muito importante para a região. Isso porque o seu porto é o principal da província de Foggia

Dica da Ana: a cidade fica muito mais animada durante o Carnaval. É quando acontecem desfiles e festas com muita gente.

Existem dois portos em Manfredonia: o porto antigo, onde ficam pescadores, e o porto novo, onde acontece a vida noturna da cidade, com bares e restaurantes. Portanto, não deixe de visitar os dois. 

No centro histórico estão vários monumentos, com destaque para o Castelo Normando, onde hoje funciona o Museu Nacional de Arqueologia do Gargano.

Depois de conhecer o centro histórico e os monumentos da cidade, aproveite para ir um pouco distante e visitar a Catedral de Siponto.

É uma belíssima igreja construída para a inauguração do Parque Arqueológico de Santa Maria de Siponto. Você vai se surpreender com os detalhes arquitetônicos.

Peschici

Se você gosta de praias paradisíacas, Peschici é o seu lugar. Ao norte do Gargano, essa cidadezinha foi construída sobre uma rocha. Talvez essa seja a explicação para as paisagens magníficas que vemos lá de cima.

Ao caminhar pelas ruas estreitas do centro histórico, vai ver como as casinhas brancas marcam a arquitetura do lugar. Assim, caminhando pela cidade, vai descobrir também os belos monumentos.

O centro em si é cercado por muralhas medievais, resquícios de quando foi atacada por tropas venezianas, no século XIII. Mas você também verá a igreja de Sant’Elia Profeta (o padroeiro de Peschici), a igreja do Purgatório (que fica na Piazza del Popolo) e o Castelo de Peschici.

A pesca feita no Trabuco – uma plataforma de madeira e cabos de aço – é tradicional por ali. Com ela a pesca pode acontecer até quando o mar está mais bravo. e há a possibilidade de participar da pesca junto com os mestres trabuqueiros.

Mas, se preferir não participar da pesca, uma opção para aproveitar o Trabuco é comer no restaurante Trabuco da Mimi. Vai ter uma vista incrível e saborear uma comida deliciosa!

Vieste

Assim como Peschici, Vieste é conhecida pelas belíssimas praias. É um lugar muito charmoso, com casinhas brancas construídas sobre uma rocha.

Na praia de Castello, um monolito de 25 metros de altura se destaca no mar de águas claras, o Scoglio di Pizzomunno. De tão imponente, me contaram uma lenda sobre esse monumento natural, um amor trágico!

Na história, Pizzomunno era um lindo pescador, apaixonado pela jovem Cristalda. Sempre que ele subia em seu barco e ia pescar, as sereias tentavam seduzi-lo.

Elas ofereciam imortalidade e o convidavam para ser o rei das sereias. Mas, fiel, ele sempre retornava para seu amor, Cristalda.

Uma noite, o casal apaixonado foi namorar próximo ao mar. Foi quando as sereias, cheias de raiva por não serem correspondidas, atacaram Cristalda e a levaram para o mar.

Pizzomunno tentou salvá-la, mas não conseguiu.

Por fim, ele ficou tão angustiado que se transformou na rocha que leva seu nome. Mas esse amor não acabou por aí, a cada 100 anos Cristalda ressurge do mar e passa uma noite ao lado de seu amado.

Monte Sant’Angelo

Bem no alto do Monte do Gargano, a pequena Monte Sant’Angelo é o ponto final para quem faz a rota de peregrinação de San Severo.

Os milhares de peregrinos vão até o Santuário de São Miguel Arcanjo, local sagrado e de muita história. Segundo a tradição, São Miguel teria aparecido para um bispo e solicitado a construção de um santuário para sua proteção.

Além de sagrado, o santuário é histórico. Ao subir as escadas, vai ver pinturas e registros da época bizantina e longobardos.

O Santuário também está na lista de patrimônios da Unesco. Viu só como essa região é valiosíssima?

Vico del Gargano

Vico del Gargano é considerada o coração do Parque do Gargano, sendo a maior parte de seu território coberta pela Floresta Umbra. Assim, cidade é uma mistura de ruas estreitas e casinhas em tons de cinza no topo de uma colina.

É uma cidadezinha pequena. conhecida por seu atesanato, especialmente pela tapeçaria. Temos várias lojinhas com teares e rendeiras espalhadas pelas ruas da cidade.

Você sabia que Vico del Gargano é conhecida como a cidade do amor? Isso porque o patrono da cidade é São Valentino, o mesmo que deu origem ao dia dos namorados americano.

Por falar em amor, uma das atrações da cidade é Vicolo del Bacio, ou “beco do beijo”. Trata-se de um beco tão apertado, que as pessoas devem andar juntinhas para conseguirem atravessá-lo.

Finalmente, você verá que Vico del Gargano não é só uma base para os passeios naturais que rodeiam a cidade.

Logo, você vai querer se perder pelas ruelas de pedra, visitando os monumentos e descobrindo a gastronomia local. É tudo!

San Marco in Lamis

Em sua longa história, a cidade de San Marco in Lamis é reconhecida pela sua cultura e pelos importantes eventos que aconteceram ali. Assim como todas as cidades do Parque do Gargano, está em meio à atmosfera mista de obras da natureza e construções do homem.

A cidade faz parte da Via Francigena, compondo o trajeto de milhares de peregrinos ao longo do ano. Diferente das outras cidades do post, San Marco in Lamis não é uma cidade com praias.

As fotos são do festival das “frachie”, uma festa religiosa em San Marco in Lamis onde grandes tochas são acesas e levadas em procissões, simbolizando o caminho de Maria até o corpo crucificado de Jesus.

Contudo, as principais atrações são o Santuário de San Matteo Apostolo (atualmente um convento de frades franciscanos), e o centro histórico, com monumentos e passagens históricas.

Viu só como o Gargano é uma região surpreendente e dona de uma beleza única? Depois de conhecer a Itália Clássica, por que não incluir as maravilhas da Puglia em seu roteiro?

Leia também:

Faça um picnic em Milão!

O que levar na mala de verão para a Itália!

Gostou deste post? Salve ele no seu Pinterest!

Compartilhe!

Sobre o autor

Redação ITALIAna Blog

Deixe uma Resposta