Durante esta semana participei de um emocionante evento no Eataly de São Paulo: uma coletiva de imprensa que aconteceu simultaneamente em São Paulo, Nova Iorque e Milão. O motivo? O Eataly vai patrocinar a nova restauração da “Ultima Ceia”, de Leonardo Da Vinci. Continue lendo o post que conto tudo para vocês.

A Última Ceia – Cenacolo

A obra mais representativa da arte italiana vai durar mais 500 anos, graças ao esforço conjunto do Ministério dos Bens Culturais da Itália e do empório gastronômico Eataly.

Oscar Farinetti, proprietário da rede e apaixonado por gastronomia, foi coerente com seus negócios ao escolher ajudar na restauração d’A Última Ceia. A obra de Leonardo Da Vinci foi pintada nas paredes do refeitório do monastério de frades dominicanos de Santa Maria delle Grazie e representa o último jantar de Jesus com seus discípulos.

Utilizando uma técnica experimental, Leonardo, em vez de aplicar pigmento ao gesso úmido – como acontece na técnica de afresco – decidiu aplicar a técnica da têmpera, que consiste em misturar pigmentos coloridos com gema de ovo e aplica-la sobre o gesso seco.

A escolha da técnica mostrou-se inadequada, já que em menos de 20 anos a superfície pintada já mostrava sinais de deterioração. Várias restaurações já foram realizadas na obra, e a última, que terminou em 1999 trouxe novamente as cores já apagadas pelo tempo à cena.

Leia neste post a história da obra e como visita-la

A nova restauração: “um jantar assim não pode acabar”

A nova restauração -prevista para terminar em 2019, a tempo das comemorações de 5 século da morte do gênio Leonardo – não será na realidade uma restauração da obra, mas do ambiente no qual ela se encontra.

Devido às micro partículas poluentes, carregadas anualmente pelos 400.000 sortudos que conseguem estar cara a cara com a Última Ceia, a obra sofre uma degradação contínua. Assim, não dar a atenção devida ao ambiente que a circunda é garantia de que um dia as futuras gerações não terão o privilégio de conhece-la.

Hoje, a emissão de ar limpo para dentro da sala é de 3.500m³ . Com a nova campanha, batizada de “Um jantar assim não pode terminar”, a emissão será triplicada, o que vai aumentar a vida da obra em 5 séculos e ainda permitirá que um número maior de pessoas a visitem diariamente (hoje, a cada 15minutos é permitida a entrada de somente 30 pessoas no recinto).

Nós também poderemos participar desta campanha!

Para ajudar no financiamento da restauração, será possível comprar, nas lojas Eataly, um ingresso especial para visitar a “Última Ceia”, que permitirá que o tempo de permanência admirando a obra seja se 50 minutos e não dos usuais 15 minutos. A visita acontecerá à noite e um especialista em arte narrará a história e os segredos da obra.

Durante todo este processo, as visitas ao local não serão interrompidas, mas conseguir o ingresso continuará sendo uma tarefa difícil, clique aqui para saber de alternativas para a compra.

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

1 comentário

Deixe uma Resposta