Ponte di Legno

Ponte di Legno é a principal base dos amantes de esporte de inverno que todo ano visitam Adamello Ski, o maior complexo de pistas de esqui do norte da Itália.

É uma das principais metas dos turistas em busca de neve. E olha, se é paisagem branquinha que você quer, garanto que lá você vai encontrar!

A nevasca da chegada. Alguém viu a rua por aí? – Ponte di Legno

Conforme fui me aproximando da cidade, os flocos de neve foram aumentando em tamanho e quantidade. Durante 5 dias nevou sem parar!!!

Meu objetivo ali era esquiar. Ou tentar, pelo menos…

A história do esqui eu conto depois tá? Rsrsrs… – Ponte di Legno

Onde dormir – o hotel La Tana dell’Orso

Cheguei no La Tana dell’Orso debaixo de uma nevasca ma-ra-vi-lho-sa e já dei de cara com o único defeito que encontrei no hotel: o estacionamento era ao ar livre! Mas isto não é nem de longe um problema para os alpinos, que acham a cobertura até desnecessária. Pra que, né? O que tem de mais uma nevinha em cima do carro de manhã?

Para chegar à recepção tive que encarar “montanhas” de neve – Ponte di Legno

Meu carrinho duas horas após te-lo estacionado – Ponte di Legno

O hotel e o restaurante ficam em prédios separados – Ponte di Legno

A pista de esqui passa no quintal do hotel. Se o objetivo for esquiar, basta sair com os esquis nos pés e aproveitar! Ponte di Legno

O quarto

Uma vez dentro do meu quarto forrado de madeira, aconchegante e quentinho foi difícil criar coragem de sair. La Tana dell’Orso significa ” A toca de urso” e a vontade que dá é de hibernar mesmo.

Dá só uma olhada:

Quartinho aconchegante… Ponte di Legno

O quarto não é grande, mas é muito acolhedor e, além do armário e da escrivaninha tem um cantinho com bule e chás para você se esquentar quando chegar congelada da rua.

A vista do quarto era a mais linda de todas:

Todo o hotel segue a decoração alpina, com as paredes forradas de madeira, poltronas aconchegantes e cantinhos que convidam ao repouso.

O SPA

Depois que eu torci os dois joelhos esquiando (para de rir!) decidi passar um dia inteirinho no SPA do hotel e não me arrependi.

Tem tudo o que você precisa para relaxar: sauna, piscina aquecida, massagens e salas de cromoterapia.

Porém, para ver o que tem de mais interessante no SPA você vai precisar de um roupão e muita coragem. Abra a porta e saia correndo no frio congelante de -10º C até a hot tub quentinha que está ali te esperando. Você pode também querer dar uma passadinha na sauna seca, que fica numa chalé de madeira perto da banheira. Eu passei algumas horas nesse vai e vem…

A pista de esqui passa ao fundo – Ponte di Legno

O café da manhã e o restaurante

O café da manhã do hotel é muito bom, com doces e geléias caseiras, típicas do local.

No dia que cheguei decidi jantar no hotel e comi muuuuito bem. Minha única dica é: não peça muita coisa! Eu pedi o antepasto e o primeiro prato e quase não consegui terminar (e olha que vocês já estão cansados de saber o quão comilona eu sou!), já que a comida da montanha é mais pesada e os pratos mais fartos.

O que fazer

O centrinho de Ponte di Legno é um charme só e o comércio tem de tudo. Imagina que foi a última cidade que me hospedei antes de voltar ao Brasil e foi lá que fiz compra para toda a família; encontrei perfumes, livros, brinquedos e muitos produtos da gastronomia local a preços justos.

Tenha o cuidado de não visitar o centro logo após o almoço ou de segunda-feira, quando o comércio está fechado.

Produtos típicos locais

Eu fui abduzida por uma tradicional loja de produtos típicos locais, a Salumeria Buccella. Os donos (pai e filha) me mostraram as deliciosas guloseimas fabricadas naquela região. Mas o que me chamou a atenção mesmo não foram os saborosos embutidos e as deliciosas geleias, mas sim um licor amarelo feito de ovo chamado BOMBARDINO BOOM e que, segundo os locais, cura de gripe a cólicas, de vermes a ressaca. Um verdadeiro milagre alquímico que eu não pude de deixar de trazer para casa (e nunca beber).

Naquela manhã, o movimento na loja era grande e eu resolvi ajuda-los no atendimento aos clientes. Subi em escadas para alcançar as prateleiras mais altas, fiz pacotes e até traduzi para o Signor Buccella o que os clientes ingleses queriam comprar. Uma experiência inesquecível!

Fábrica de queijo

Uma outra experiência inesquecível foi a que me proporcionou a visita à fábrica de queijos de Andrea Bezzi.

Andrea é produtor do queijo Silter, o mais famoso da região do Val Camonica. O amigo que nos apresentou me disse para chegar bem cedo na fábrica. Obedeci.

Às 8 em ponto estava congelando do lado de fora da porta fechada da fábrica.Logo vi a Ape de Andrea se aproximando carregada de leiteiras que, apesar do frio, mantinham-se morninhas ao toque. Era o leite recém obtido da ordenha matutina.

A Ape ainda carregada – Ponte di Legno

Ajudei a descarregar a Ape (trabalhei nessa viagem, viu?) e colocar o leite nos recipientes adequados e, então, Andrea começou a me contar da sua paixão: suas vacas.

As vacas que mandam nele. Se elas precisam ir para as montanhas altas pastar, ele pega a família e passa 3 meses lá. Se elas precisam voltar, a família volta com elas. Simples assim.

Ele me explica sobre a delicada fabricação do queijo Silter e começa a me oferecer os produtos fresquinhos que já estão prontos: primeiro uma coalhada, depois o iogurte e depois a panna (o creme do leite) com um cafézinho. Tudo delicioso.

Então vamos para a sua loja e o seu depósito secreto, onde esconde seu tesouro: peças enormes de queijo que estão ali curando há anos!!

Onde comer

Além do restaurante do hotel La Tana dell’Orso, recomendo outros 3 lugares onde comi muito bem por um preço muito justo.

Ristorante San Marco

Marco é um chef apaixonado pelo seu trabalho e pelos produtos da região. Você pode ler o review do restaurante clicando aqui.

Refugio Valbione

Para chegar até lá é preciso pegar o teleférico Valbione, que te leva praticamente até a porta do restaurante . Boa comida de montanha com uma vista impressionante.

Refugio Passo Paradiso

Se quiser ir ainda mais alto, almoce no restaurante mais alto existente por ali, que fica ao lado da maior geleira dos alpes italianos (ghiacciaio Presena). Para chegar lá, pegue a cabinovia Tonale-Vigili-Pontedilegno e vá até o final.

Aqui a comida é self service e o preço muito bom.

Na prática

Localização: Ponte di Legno é facilmente alcançada a partir de Milão (170 Km) ou Brescia (140Km).

Quanto tempo ficar: Recomendo que fique pelo menos 3 dias para aproveitar a cidade, além de praticar esportes de inverno. Leia aqui sobre Adamello Ski

Onde dormir: Hotel La Tana dell’Orso – Via Case Sparese, Località Val Sozzine

Onde comer: Ristorante San Marco – Piazzale Europa, 18 – Ponte di Legno. Leia aqui sobre o Ristorante San Marco

Loja de produtos típicos gastronômicos: Salumeria Buccella, Corso Trieste, 2, Ponte di Legno

Andrea Bezzi, queijos Silter: Vicolo Plaz dell’Orto,15

Endereço dos teleféricos: Seggiovia Valbione e Cabinovia Pontedilegno-Vigili-Tonale: Via Nazionale (com estacionamento no local)

Informações turísticas: Ponte di Legno Corso Milano 37 – Ponte di Legno

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

5 Comentários

Deixe uma Resposta