O mercado de Bolonha, chamado de Mercato di Mezzo ou Quadrilatero, é uma área de antiga tradição comercial, que teve seu maior desenvolvimento na Idade Média e que mantém até hoje sua vocação mercantil.

Fica bem no centro histórico, delimitada pelas Piazza Maggiore, Via Rizzoli, Piazza dela Mercanzia, Via Castiglione, Via Farini, Piazza Galvani e Via dell´Archiginnasio. Dá pra fazer o circuito inteiro a pé sem se cansar!

Acordei cedinho pois não queria perder a montagem das barraquinhas do mercado de Bolonha. Cedinho que eu digo são sete horas, pois por aqui a feira não começa a ser montada às 4 da manhã, como no Brasil. Como uma boa dorminhoca o meu deslumbre já começou por aí.

Tive como companhia meu tio: “bolonhês do ragù” – se assim pode-se dizer – que me mostrou suas lojas preferidas, os empórios tradicionais, o café frequentado por Chet Baker (ééé, ele também adorava Bolonha) e outros segredinhos que divido com vocês agora.

Mercado de Bolonha – Mercato di mezzo

Algumas das ruazinhas, estreitas e bloqueadas para o tráfego de carros, ainda levam o nome das antigas profissões das pessoas que se instalavam por ali, como um shopping center organizado.

Deste modo, se você saísse de casa a fim de comprar uns cabritinhos, deveria se dirigir para a Via Caprarie (rua das cabras). Se quisesse um dia de glamour, poderia dar uma passadinha na Via Drapperie (rua dos tecidos) para comprar um corte de tecido novo e depois na Via Orefici (rua dos ourives), para um adorno de ouro. Quer peixe? Via Pescherie (rua dos peixes).

Hoje em dia, muita coisa mudou. Eu, por exemplo, não encontrei nenhuma cabra pelo caminho! Rsrsrs…

mercado de Bolonha

De qualquer forma, ainda dá para sentir o pulsar da antiga tradição mercantil. E quando digo tradição, quero dizer que estas lojas, ou botteghe, são passadas de geração para geração, como uma herança compulsória.

Os chineses, indianos e árabes que já tomaram conta de outros mercados em Bolonha não conseguiram se infiltrar neste quadrado. Espero que continue assim!

Na esquina da Via Caprarie com Drapperie está localizado um dos meus empórios preferidos: o Tamburini. Desde 1932 a família produz os produtos típicos da região e especialidades da cozinha bolonhesa. Se você quiser, pode trazer para o Brasil uma caixa devidamente embalada com os verdadeiros tortellini!

mercado de Bolonha

mercado de Bolonha

Bem ao lado encontra-se outro empório maravilhoso: o Paolo Atti, no ramo há cinco gerações, desde 1903 produzindo diversos tipos de massas,  pães e docinhos.

Na Via Orefici está a sorveteria e chocolateria Venchi, que produz o inigualável chocolate cremino desde 1878!

A Via Pescherie (sim, a antiga rua dos peixeiros!) e a Drapperie são as mais animadas: banquinhas de frutas e verduras coloridas espalhadas pelas ruas, odores espalhados pelo ar, vozes dos comerciantes atraindo os clientes para uma degustação…

mercado de Bolonha

Uma atração para todos os sentidos! Mas, cuidado, nem pense em usar o tato, pois por aqui: tu tochi, tu compri! Traduzindo: relou, pagou!

mercado de Bolonha

Ainda na Drapperie, a bottega Gilberto merece uma visita. De tradição familiar desde 1905 vende vinhos, licores, molhos, vinagres balsâmicos, docinhos e todos os ingredientes necessários para se fazer em casa o “Licor Do Meu Tio”, que vou ensinar  a fazer passo a passo em outro post.

mercado de BolonhaEste empório é tão excitante que comprei 3 quilos de um sal que nunca vi na vida. Depois acabei deixando no hotel, fiquei com medo do que a polícia pensaria se revistasse minhas malas, rsrsrsrs…

mercado de Bolonha

Mercado de Bolonha: interior do empório Gilberto

mercado de Bolonha No Vicolo Ranocchi, há mais de meio século está a Macelleria Equina, ou açougue de carne de cavalo. Alguém já provou? Eu gosto muito!

Na Piazza Galvani, localiza-se o Café Zanarini, desde 1930 entre os bares da moda da cidade. Na hora do aperitivo, peça uma bebida alcoólica e ganhe um monte de petiscos gostosos! Se for época de morango, peça o Rossini, uma delícia!

Bem ali pertinho está a Galleria Cavour, a primeira galeria da cidade, projetada nos anos 50 para recuperar um quarteirão destruído durante a guerra. É um shopping de luxo, com lojas de grandes marcas e é aqui que você atualmente poderá passar umas horas de glamour.

Por todo o percurso você encontrará botteghe de queijos, de vinhos, de flores, de especiarias; além de lojas de artigos de couro, roupas, grandes marcas, enfim, meu conselho é: perca-se nas vielas do quadrilátero e surpreenda-se com tantos segredos escondidos ali. Ah! e depois, volte aqui para conta-los!

mercado de Bolonha

Mercado de Bolonha – os bomboloni são meus doces preferidos!!

mercado de Bolonha

Mercado de Bolonha – os melhores produtos de cada região italiana

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

11 Comentários

  1. Carlane Torres Gomes de Sá on

    Ana a matéria é encantadora é muito elucidativa , parabéns , como sempre, adorei!! Itali-ANA

  2. Erika Campana on

    Adorei a dica pois farei um bate-volta da Brescia para a Bolonha e com certeza vou fazer o seu roteiro!

    • Ana Grassi on

      Erika, Bolonha é maravilhosa! Esta semana vou postar um roteiro de um dia em Bolonha… fique de olho!
      Baci,

      Ana

  3. Ana, se você pretendia deixar a pessoa “atabacada” para ir a Bologna…você conseguiu!
    Ai, eu quero muito ir!!!
    Post sensacional como todos os outros.
    Grazie
    Bacione

  4. Lendo seu post de Bolonha com algum atraso…pensando em fazer como base Bolonha, quais bate volta são imperdiveis na tua opinião? Conheço Verona, Veneza, Florança….gostaria de conhecer Padova mas me parece pouco um dia! Ah! Adoro seu blog!

    • Ana Grassi on

      Oi Natalia, tudo bem? A maioria das lojas fecha de domingo e após o almoço (geralmente das 13 às 16h30).
      Buon viaggio,
      Ana

Deixe uma Resposta