Na Idade Média a arte da pasticceria era ainda desconhecida. Os poucos doces eram fabricados dentro de monastérios e conventos e levavam nomes engraçados, como: súplica e paciência. Sem dúvida eu seria a pessoa mais paciente do convento, fizesse efeito a quantidade de docinhos que comeria!

Os árabes que chegaram à península, introduziram o uso de especiarias e fruta secas na culinária, assim, nasce um dos doces sicilianos mais apreciados no mundo: o cannolo. Por volta de 1300 os doces começaram a fazer parte dos banquetes de núpcias e apareceram pela primeira vez na mesa da corte dos Condes de Savoia.

A partir daí, apesar de alguns esforços religiosos para diminuir o consumo de doces, a arte da pasticceria italiana só cresceu e o resultado é o que vemos nas lindas (e calóricas) vitrines das docerias espalhadas pelas cidades da Itália.

Mesmo se o seu objetivo não for caçar boas docerias, tenho certeza que caminhando pelas ruas de Roma, será praticamente inevitável encontrar – e entrar – em uma delas. Renda-se e não vai se arrepender!

Abaixo listo algumas destas deliciosas docerias em Roma:

IMG_3849

Mizzica

Localizada no coração de um bairro com pouquíssimos turistas, esta pasticceria é minha vizinha quando me hospedo em Roma. Pulo da cama, me arrumo e saio ainda addormentata para o balcão do lugar que adoça meus dias romanos.

Pela manhã, brioches, cornetti, docinhos de marzipã…tudo morninho, recém saído do forno. Não deixe de experimentar – per favore, per favore – um docinho que parece nosso pé de moleque (mas que é feito de lascas de amêndoa finíssimas e crocantes), o cornetto al pistacchio (brioche doce com creme de pistache) e, claro, a cassata siciliana.

Sei que o assunto é doce, mas não posso deixar passar a dica: na hora do almoço eles servem massas típicas sicilianas e os famosos arancini, um bolinho frito feito de arroz que tem a forma da nossa coxinha e é recheada com diversos sabores.

Via Catanzaro, 30 (desça na estação Bologna do metrô).

Regoli

Fundada em 1916, a pasticceria Regoli tem uma atmosfera anos 70 que recorda minha infância e a antiga lanchonete do meu pai. Talvez por isso me sinta bem lá!

Os doces também são os típicos e tradicionais, com muito creme, chantilly e zabaione, sem muita invenção.

Via dello Statuto, 60 (descer no metrô Vittorio Emanuele).

nonna-vicenza

Pompi

Considerado o Reino do Tiramisù desde 1960.

Já inventaram o tiramisù com morango, com banana, além do Uovamisù e o Colombamisù. Mas eu gosto e indico mesmo é do tradicional. Ele vem numa caixinha e custa 3,50 Euros.

Tem uma loja pertinho da Piazza di Spagna, (Via della Croce,82) mas se tiver tempo, vá até o primeiro endereço da marca: Via Albalonga, 7b (desça na estação de metrô Re di Roma).

Said – Antica Fabbrica del Cioccolato

A fábrica, transformada num bistrô, funciona desde 1923. O ambiente é muito aconchegante, com sofás e paredes decoradas com antigos utensílios de cozinha. Um charme!

É sobremesa de chocolate pra nenhum chocólatra colocar defeito! Minha sobremesa consistia num mix de tudo o que tinha na vitrine. Me assustei quando o garçom colocou duas pedras de ardósia (no papel de pratos) repletos de chocolates. Achei que não fosse dar conta, mas dei, claro!

Fica um pouco afastado do centro, mas dá para ir de metrô até a estação Policlinico e com uma caminhada de 10 minutos, você chegará no paraíso de cacau (Via Tiburtina, 135).

IMG_1128 (1)

I dolci di nonna Vicenza

Esta é uma dica de outra amiga, a Dani Bispo,  food blogger, que escreve o delicioso Comer e coçar é só começar, e que deixou registrado num guest post aqui no blog ITALIAna sua preferência por esta pasticceria. Eu ainda não conheço, mas está na minha lista!

Via dell’ Arco del Monte, 98 (pertinho do Campo de’  Fiori)

Leia os outros posts de gastronomia do blog, clicando aqui.



Booking.com

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

11 Comentários

  1. Ana, salivei!
    Está anotado para julho. Inclusive já defini o caminho para a Torre de Babele, certamente passarei pela Mizzica.
    Um beijo.

  2. Pamela Campos on

    Que delícia de post! Quero passar em todas quando for a Roma em maio, especialmente na Said – Antica Fabbrica del Cioccolato. Adorei as dicas!

Deixe uma Resposta