Tudo o que você precisa saber antes de viajar para a Itália

1 – Passaporte e visto

Os brasileiros que ficarem na Itália por até 90 dias, são isentos de visto.

Porém, ao entrar no país, é necessário apresentar um passaporte com prazo de validade de no mínimo 3 meses contados a partir da data de embarque.

Assim, se sua data de embarque é dia 01/06/2017, o seu passaporte precisa ser válido até dia 01/09/2017. Se isto não ocorrer, providencie a renovação de seu passaporte antes de viajar.

Podem pedir também que você apresente:

– o bilhete aéreo de volta com prazo não superior a 90 dias;

– um Seguro Viagem Internacional para a zona Shengen, com cobertura mínima de 30.000 Euros;

– vouchers dos hotéis ou carta convite do cidadão italiano que te convida para a Itália.

O modelo da carta convite pode ser visto no site do Consulado da Itália (www.conssanpaolo.esteri.it);

– comprovação econômica. Isto quer dizer que você deverá demonstrar que está levando a quantidade de Euros necessária para se sustentar no país durante o período de sua permanência.

Confira os valores na seguinte tabela:

http://bit.ly/2mtkFRn

Atenção!!!

Se você entrar na Itália depois de já ter passado por um dos países da Zona Schengen e não for ficar em hotel: deverá providenciar uma declaração de presença na Itália em uma QUESTURA (Polizia dello Stato) no prazo de 8 dias, sob pena de expulsão do país.

Para permanências mais longas ou por motivo que não seja o turismo, consulte a tabela disponível no site

http://www.esteri.it/visti/home.asp para confirmar a necessidade ou não do visto.

2 – Voos a partir do Brasil

As companhias aéreas com voos regulares diretos para a Itália são:

– a Alitalia, com voos de São Paulo ou Rio de Janeiro para Roma (Aeroporto Fiumicino) e

– a LATAM, com voos diários de São Paulo para Milão (Aeroporto Malpensa).

Muitas outras companhias voam para estes e outros aeroportos da Itália, mas fazem conexão obrigatória no país de origem da companhia aérea.

Sites úteis:

Aeroportos de Milão: www.sea-aeroportimilano.it

Aeroporto de Fiumicino – Roma: www.adr.it/fiumicino

3 – Viajando com crianças

Menor de idade viajando com apenas um dos pais precisa apresentar uma Autorização de Viagem Internacional.

No site da Polícia Federal você encontra uma cartilha de como deve proceder neste caso.  No site também está disponível o modelo do formulário que deve ser apresentado na imigração.

http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2016/09/ccd9df09e807298f9627987cf7926c12.pdf

Atenção!!

O formulário deve ser assinado pelo responsável que ficará no Brasil e sua firma precisa ser reconhecida em Cartório. Basta uma cópia, mas por segurança, recomendo que faça duas vias e fique com uma durante a viagem.

4 – Moeda: dinheiro e cartão de crédito

A moeda italiana é o Euro. A forma mais segura de levar dinheiro é através de um cartão de débito pré-pago, como o Visa Travel Money, que pode ser adquirido em casas de câmbio.

A grande desvantagem é que o governo aumentou para 6,38% o IOF incidente sobre o carregamento de cartões de débito com moeda estrangeira.

Assim, a economia é grande quando se compra moeda estrangeira em espécie, cuja alíquota incidente no valor da compra diminui para 0,38% sobre a operação.

Dicas:

– leve uma boa quantidade em espécie para evitar o pagamento do IOF e da taxa de saque no exterior, cobrada pela administradora do cartão.

– os cartões de crédito internacionais são aceitos na maioria dos estabelecimentos comerciais.

– o pagamento da gorjeta não é obrigatório, mas costuma-se dar de 6% a 10% caso o cliente esteja satisfeito com o serviço que recebeu.

5 – Devolução de imposto (Tax Free)

Turistas residentes fora da União Europeia podem requerer o reembolso do Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) que incide sobre a mercadoria e varia entre 12% e 35%. Porém, para ter direito a este reembolso a compra deve superar o valor de 154,94 Euros na mesma nota fiscal.

O processo é bem fácil, siga este passo a passo e lembre-se de chegar com bastante antecedência ao aeroporto, para conseguir realizar todo o procedimento.

1 – Na loja que você realizou a compra, apresente seu passaporte e peça o formulário do tax free. Será entregue a você um envelope da Global Blue (ou outra empresa que administra o reembolso do imposto), onde você deverá colocar a fatura de compra e o formulário preenchido;

2 – No aeroporto, antes do check in, apresente-se no guichê da Alfândega com o envelope, as faturas e o passaporte. Eles podem querer verificar sua compra, por isso, sugiro que a mantenha separada na mala;

3 – Obtido o carimbo da alfândega, dirija-se aos guichês de reembolso. Você pode pedir para ser ressarcido imediatamente na moeda do país (com desconto de uma taxa) ou através do cartão de crédito.

Atenção!

O reembolso somente é válido para bens que você está levando para fora do país, não é aplicável para gastos em restaurantes, hotéis e demais serviços.

6 – Aluguel de carro

As locadoras de veículos, em geral, exigem dos brasileiros apenas a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) no momento da retirada do veículo alugado, por  isso, é comum que todos pensem que apenas esse documento seja suficiente para poder dirigir na Itália, MAS NÃO É!

Para as locadoras de veículos, é suficiente um documento de identificação que demonstre que o locador está apto para dirigir. Isto porque, no contrato de locação de veículo existe uma cláusula na qual o locador afirma possuir todos os requisitos e documentos necessários e válidos para dirigir em solo italiano e que se responsabiliza, de modo exclusivo, por eventual multa em virtude da falta de documentos obrigatórios que são de sua inteira responsabilidade.

O artigo 135 do Código da Estrada, que regula as normas de comportamento no trânsito italianas, estabelece que um estrangeiro, proveniente de uma região fora da União Europeia, para poder dirigir regularmente em solo italiano deve estar munido da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) + PID (Permissão Internacional para Dirigir), válidas*.

*Há diferentes interpretações sobre este artigo de lei, para um aprofundamento no assunto, leia o artigo a seguir:

https://italiana.blog.br/dirigir-na-italia/

A Permissão Internacional para Dirigir (PID) deve ser solicitada no DETRAN de sua cidade e os valores variam de estado para estado.

7 – Zonas de tráfego limitado

Fique atento às zonas de tráfego limitado presentes na maioria das cidades italianas (sinalizadas com placas “ZTL”). As multas de carros sem permissão para circular por essas zonas costumam ser bem caras.

8 – Trem

Se preferir viajar de trem, a Itália possui uma excelente malha ferroviária, com trens de alta velocidade. Pode-se comprar o bilhete diretamente nos guichês das estações ou através do site www.trenitalia.it ou www.italotreno.it

A compra antecipada de trens de alta velocidade, garante que você pague sempre o menor preço.

Para se aprofundar no assunto, leia o Guia para Viajar de trem na Itália, neste post:

https://italiana.blog.br/viajar-de-trem-na-italia/

9 – Clima

Do norte para o sul do país, as diferenças climáticas são enormes!

No norte, os invernos são rigorosos e o verão é quente e úmido.

Na região central do país, predomina o clima temperado, com invernos menos rigorosos e mais curtos e verões mais quentes e longos.

No Sul e nas ilhas o inverno nunca é rigoroso e a primavera e o outono são parecidos com o verão: quente e abafado.

Guie-se pelo site http://www.meteo.it para conferir a previsão do tempo nas cidades que irá visitar e consultar o arquivo das temperaturas dos anos anteriores.

10 – Fuso horário

A Itália está a +4 horas do horário de Brasília.

De março a outubro esta diferença aumenta para 5 horas devido ao horário de verão italiano.

De outubro a fevereiro a diferença é de 3 horas devido ao horário de verão brasileiro.

11 – Aparelhos elétricos

A rede elétrica da Itália é de 220 volts, com tomadas de dois pinos arredondados (padrão europeu). A maioria dos hotéis possuem adaptadores universais, mas sugiro que leve o seu.

12 – Água

A água da Itália é potável; pode-se tranquilamente toma-la da torneira ou das inúmeras fontes espalhadas pela cidade.

O consumo da água das fontes somente é impróprio se estiver com a indicação: acqua non potabile.

13 – Telefonia e internet

Do telefone fixo ou de celular, é possível ligar para o Brasil utilizando o serviço Brasil Direto da Embratel e os custos da ligação serão debitados na conta do seu telefone fixo do Brasil.

No site da Embratel você pode imprimir o guia de bolso com os telefones de acesso ao serviço:

http://portal.embratel.com.br/fazum21/brasil-direto/numeros-de-acesso/

Se preferir usar seu celular:

– compre um chip pré-pago em bancas de jornal (SIMCARD ricaricabile) por 10 Euros e carregue-a de acordo com sua necessidade (neste caso você só tem o plano de voz, sem internet);

– vá a uma loja de telefonia (Tim, Vodafone, Wind) com seu passaporte, e faça um plano de dados + voz. Geralmente as operadoras tem pacotes com validade de 30 dias feitos especialmente para turistas. O preço varia de 30 a 50 Euros, dependendo da operadora e do pacote escolhido.

14 – Língua

A língua oficial é o italiano, falado por toda a população e presente em todos os meios de comunicação. Entretanto, você irá encontrar muitas variações de pronúncia e muitos dialetos pelo caminho.  Procure aprender um pouco da língua para uma experiência autêntica de viagem e use o inglês quando necessário, principalmente nas grandes cidades e nas principais atrações turísticas, você sempre encontrará alguém que fale inglês.

15 – Números de emergência

113 – Polícia Civil
112 – Polícia Militar
115 – Bombeiros
118 – Ambulância
803.116 – Emergência na estrada