Cyntia é colaboradora do blog e participou da Viagem Cultural ITALIAna em roma. Ela fez um diário de bordo que conta as aventuras e as desventuras de um turista pela primeira vez na Itália. São 10 capítulos que retratam sua opinião autêntica, divertida e picante sobre a Itália e os italianos. Aproveite!” (Ana Grassi)

Leia mais:

Capítulo 1: A Chegada

Capítulo 2: Frascati e Nemi

Capítulo 3: Em Roma, viva como os romanos

Capítulo 4: Pelos fóruns romanos

Capítulo 5: Visitar Roma não é fazer turismo… é reviver a história!


A Toscana, muito melhor que nos filmes

Toscana de filme

Alugando um carro

Então, locar um carro é muito fácil, em qualquer lugar do planeta!

Basta que você tenha uma carteira de habilitação em dia e um cartão de crédito com limite. Simples assim: selecione um site para reserva, escolha seu carro, insira seus dados e, quando estiver no país da retirada, chegue no horário marcado (que você mesmo vai escolher para a retirada).

Nesse quesito em especial, eu tenho que fazer uma recomendação aos queridos colegas e conterrâneos brazucas: qualquer outro lugar do planeta não é como no Brasil, onde as pessoas acham normal se atrasar para seus compromissos.

Não! Em nenhum outro lugar do mundo as pessoas vão esperar por você. E foi justamente isso que aconteceu em Roma, na locadora na qual havíamos feito a reserva do carro. Chegamos “pontualmente” 14 minutos atrasadas e, claro, a locadora do terminal já havia fechado; demos no show no carro.

Aprendizado: 15 minutos de tolerância, acho que só no nosso Brasilzão mesmo! Fica a dica!

Ciprestes e cozinha

Mas, o “trauma” do carro havia ficado num passado distante, quando adentramos as vastas plantações de ciprestes, na chegada à região de Roccastrada, local em que estava nos aguardando o Agriturismo Il Poggiarello.

toscana-de-filme-9Sim, na minha modesta opinião, um dos lugares mais lindos, aconchegantes, cheirosos e fantásticos do “planeta” Itália.

Leia aqui o post sobre o Agriturismo Il Poggiarello

 Lá, os anfitriões Chiara, Stefanoe a deliciosa Beatrice, a “mamma”, a cozinheira da propriedade, nos esperavam para a primeira aula de culinária da nossa viagem.

Toscana de filmeLeia aqui sobre a aula de culinária com Beatrice

Aqueles momentos ao lado daquelas pessoas, naquele lugar, aprendendo algumas das práticas e simples tradições gastronômicas dos italianos, claro, com uma maravilhosa taça de um rosé produzido na propriedade – Muralia – foi um dos mais deliciosos momentos de júbilo da minha vida.

toscana-de-filme-10Leia aqui sobre a vinícola Muralia e como fazer para visita-la

Sempre gostei de cozinhar, mas de brincadeira, para os amigos, num final de semana descontraído e sem promessas. Ali, naquela cozinha, olhando aquela jovem senhora, com toda a paciência do mundo e amor pela sua arte, nos ensinando algumas importantes lições de vida e de amor pela comida, me entreguei aos prazeres do aprendizado, da comida e, claro, do vinho: aham…foi o meu primeiro (e único) “exagero” da Itália. Sofri um pouco, na manhã seguinte, mas sem arrependimentos.

Os prazeres das degustações

Aquela manhã foi um pouco desconfortante para mim.

Fiquei triste por não conseguir provar as iguarias do rico e organizado café da manhã. No entanto, sabia que poderia recuperar o tempo perdido, na manhã do próximo dia (se  controlasse o vinho naquele, obviamente!).

Saímos pela estrada em direção a uma “lenda”: o famoso Brunello de Montalcino.

O Brunello di Montalcino

Chegamos a uma rica e bem cuidada propriedade, no alto das colinas de Montalcino. A construção de pedra revelava séculos de história: um antigo mosteiro  do século XIII.

toscana-de-filme-11Ali, um casal húngaro, há 25 anos, iniciava as instalações do que é hoje uma famosa vinícola do apreciado mundialmente Brunello de Montalcino, a Vinícola Máté.

Leia aqui sobre a vinícola Máté

A visita à propriedade transcorreu tranquila e calmamente. Já o momento da degustação foi um pouco traumático pra mim: pensa numa pessoa que  AMA vinhos. Sou eu!

Havia esperado muito por aquele momento especial, pela degustação dos fantásticos Brunellos. E, eis que, mal conseguia engolir um mínimo gole da taça. Então, pra não passar vergonha, dei uma de “conocer” e a cada provada, jogava o resto da taça nos dispensers de descarte dos vinhos da sala de degustações.

Afff…queria morrer por aquele ato herege; mas era o máximo que eu suportava naquele momento! Pelo menos, participei da degustação e, claro, comprei umas garrafas para a degustação “real”,  posterior.

O almoço típico toscano

Definitivamente, aquele era o dia das degustações, e a Ana havia planejado um magnífico banquete para nós, num deslumbrante restaurante no alto de uma colina, bem pertinho do forte de Montalcino, o Boccon Di Vino.

Leia aqui sobre o Restaurante Boccon Di Vino, em Montalcino

Naquele horário (passava das 13h) eu já me sentia mais disposta e até com certa fome, ainda que soubesse que deveria maneirar nas taças.

Foram 4 deliciosos e fantasticamente apresentados pratos, cada qual, acompanhado de um especial e magnífico vinho, que eu, por infelicidade, nem pude apreciar muito, diante do quadro da noite anterior. Temperos, folhas, queijos, carnes, massas, molhos, especiarias e apresentações.

Uma afronta aos sentidos; um prazer merecido e uma recordação para a vida.  Aquele lugar, aquele restaurante, vale cada centavo investido.

Já passava das 16 horas quando saímos das orgias gastronômicas daquele inesquecível local. Montalcino estava há poucos minutos dali.

Montalcino

toscana-de-filme-12Felizmente, mais uma vez a mulherada do grupo se dispersou e eu, como sempre, caminhei sozinha e contemplativa pelas antigas ruas do pequeno burgo.

toscana-de-filme-5Motivo de muitas disputas, palco de muitas batalhas, Montalcino hoje é uma preservada cidadela medieval, com ruelas estreitas, lojas de vinhos, locais para comer, igrejinhas, santuários e museus.

toscana-de-filme-6

Quando chegamos, estava sendo montada e preparada uma das festas anuais, na qual aconteceriam torneios de arco e flecha com arqueiros vestidos à caráter, cavalos, vestimentas e armas medievais. Morri, por não poder ficar para participar do evento; mas nossa programação do dia ainda não parava por ali.

toscana-de-filme-7

Resumindo: A Ana fez verdadeiro milagre em termos de programação pra aquele grupo, contemplando dezenas de grandes atrações em menos de duas semanas de viagem. Mas para conhecer e “sentir” a Toscana vc precisa de tempo. Se puder, escolha um agriturismo como o nosso – Il Poggiarello, o melhor! – alugue um carro e percorra toda a Toscana, calmamente; um lugarejo por dia. Para viver a Toscana você precisa se “entregar ”  em cada colina.

Salvar

Salvar

Salvar

Compartilhe!

Sobre o autor

Cyntia Braga

Cyntia é jornalista e tem suas origens açorianas, mas o sangue que corre em suas veias é “vinho tinto italiano”. É proprietária de um dos 10 melhores hostels do Brasil, o Concept Design Hostel & Suites.

4 Comentários

  1. Bruna Samora on

    Me emocionando demais com cada detalhe de cada região. Amando a descrição!!
    Obrigada! Meus olhos se enchem de alegria, de saudade, de vontade de ir logo (mesmo sabendo quando irei), estou em êxtase! rsrs

    • Cyntia

      Que lindas suas palavras, Bruna. Fico feliz que esteja gostando pois, estar escrevendo a minha vivência, o que passei e os momentos maravilhosos da minha viagem também me enche de alegria. São relatos sinceros, cheios de vivência e emoção, e que ficarão para sempre eternizados, no Italiana Blog. Agradeço a minha amiga Ana, por ter me feito esse lindo convite, de escrever no seu blog. Um super abraço e, aguarde os próximos posts.

Deixe uma Resposta