“Cyntia é colaboradora do blog e participou da Viagem Cultural ITALIAna. Ela fez um diário de bordo  que conta as aventuras e as desventuras de um turista pela primeira vez na Itália. São 10 capítulos  que retratam sua opinião autêntica, divertida e picante sobre a Itália e os italianos. Aproveite!” (Ana Grassi)

Primeira vez na Itália

Sim, foi minha primeira vez na Itália. Havia muitos anos que eu sonhava com uma viagem à Roma e dessa vez, consegui priorizar e vir. Sou bem crítica pra algumas coisas, como vão perceber no meu texto. Meu primeiro dia não foi dos melhores, mas verão, que ao longo dos dias, consegui relaxar e aproveitar  MUITO essa linda experiência na Itália. A primeira, de muitas que ainda virão! Espero que gostem dos textos e consigam sentir um pouco as alegrias, aventuras e sensações que abriram a minha cabeça e mudaram a minha alma. Boa leitura a todas e todos!

Chegada em Roma

Cheguei com sol em Roma – uma ensolarada tarde de sexta feira, dia 21 de outubro.

Mas pegar o busão no aeroporto pro centro da cidade foi um show de horror! Fila gigante pra comprar o bilhete, italianos gritando uns com os outros pra não furarem a fila, outra fila gigante pra pegar o busão, um maldito fumante atrás de mim na fila, sem a menor cerimônia, e muitos milhares de outros em volta, fumando sem medo de ser feliz. O povo empilhando as malas no guarda volume do ônibus, como se empilhassem caixas na feira, nenhum cortês funcionário pra te ajudar. Aff…espero que seja apenas o stress da chegada!!

Trânsito de Roma

Caraca, o trânsito de Roma é insuportável! Parece que tô em São Paulo no horário de pico! Levei duas horas pra chegar do aero à estação  Termini,  no centro da cidade. Aquelas motinhos vespas estão como enxame por todos os lugares e são pior que os motoboys do centro expandido de SP. Ainda mais que cheguei num dia de greve do transporte público … Fuck!

Primeira vez na Itália

Bem vindo ao trânsito caótico de Roma! – Primeira vez na Itália.

Dica do dia: leia com cuidado os endereços

Daí,  a entendida de hostel – dona de hostel no Brasil – foi achar que seria fácil achar a pé o hostel já reservado pela internet. O problema é que a tansa aqui leu “Via Palermo”, mas era “Via Palestri”, daí ferrou: todos pra quem eu perguntei me davam direção “pertinho da estação Termini, dá pra ir andando”. Me ferrei… quem disse que eu achava o hostel? Andei umas oito quadras, empurrando minha malinha, pra frente e pros lados e nada de achar a maldita Via Palermo. Cansei de procurar e peguei um taxi. Algumas quadras depois, cheguei no número da Via Palermo. O taxista italiano só me gritou o valor da corrida e já foi largando minha mala no chão. Paguei e ele vazou rapidamente. Quando olho pro número da Via Palermo, um  restaurante japonês; justo eu, que odeio comida japonesa (nem pra parar e fazer uma boquinha!).

Então parei pra ler “com calma” o endereço do hostel e vi que a rua era outra. Peguei outro táxi e gastei mais 12 euros pra chegar no endereço que era, realmente, a 5 quadras da Estação Termini. Resumindo: 2 horas depois, empurrando mala Roma adentro, fazendo bolha no pé, torrei a grana de umas 6 taças de vinho à toa, com 2 táxis desnecessários.

Em tempo: se for pegar táxi com malas prepare-se para taxa extra – 2 euros por mala.

Acolhida Italiana

Mas beleza, cheguei no hostel. Esperava tratamento VIP, como o que damos no nosso hostel em Foz, mas o recepcionista nem perguntou meu nome, pediu o passaporte, não consegui nem ver qual era a cor dos olhos dele ou se ele tinha dentes na boca (nem sorriu!). Me falou o valor que faltava eu pagar, perguntou se seria em cartão ou dinheiro e me entregou o cartão do quarto. Eu tava esperando ele me falar sobre a lista de regras, normas e etiquetas de boa convivência em quartos compartilhados, como a que temos no nosso, mas nada, nem uma palavra! Me perguntou se eu queria uma toalha de banho e já foi dizendo “boa estada”!

Primeira vez na Itália

Ok né! Uma outra pessoa do staff me fez a gentileza de me acompanhar até o quarto. Saímos do hostel em direção ao outro lado da rua. Oi? Onde vamos? Do outro lado da rua tinha um prédio de aptos e uma plaquinha escrita Hotel Colorado. Passamos direto pela recepção, subimos um lance de escada e chegamos na porta de um mini-micro elevador do século retrasado. Então ela me disse: “4º andar, boa estada”! Mais uma vez, fiquei impressionada com a “acolhida italiana”.

Resumo do dia: espero que o segundo dia seja melhor e com mais sorrisos!

Compartilhe!

Sobre o autor

Cyntia Braga

Cyntia é jornalista e tem suas origens açorianas, mas o sangue que corre em suas veias é “vinho tinto italiano”. É proprietária de um dos 10 melhores hostels do Brasil, o Concept Design Hostel & Suites.

10 Comentários

  1. Rindo muito com essa sua experiência, desculpe!! Kkkkk Muuuuito bom!! Espero que a maxima “a primeira impressão é a que fica”, não tenha prevalecido…. Louca pela continuação dessa história.

    • Cyntia Braga

      Oi Adriana, que bom que gostou. Não, vc vai ver no próximo post que no dia seguinte já foi todo alegria. Aguardo seus próximos comentários! Abs.

  2. Filomena on

    Bem aquela máxima de “amor” e “ódio”, prefiro a primeira, SEMPRE!!! Roma me proporciona tudo de bom e mais um pouco, ainda que aconteçam estes micos ou perrengues, meu espírito se prepara bem..estou feliz, estou em Roma! Ansiosa para os próximos contos!

  3. Amei a sua história, fico feliz que a minha primeira vez tenha sido melhor…rssss Tive a sorte que ficar na casa de uma amiga, mas fui sozinha a Calabria sem falar italiano, encontrei italianos que me deram informações corretas, inclusive, levaram-me até o trem que devia pegar até a Calabria. Mas acho que toda experiência é válida, quando se trata da Itália, até o calor e os pés inchados (fui em setembro), mas estava ainda bem quente. Realmente é uma confusão, muitos italianos falando juntos, e a feira? kkkkk parece que estão brigando, falam muito com as mãos. Se existe outra vida, acredito que vivi na Itália, porque me senti em casa. Espero pela continuação da sua história.

  4. Ana Claudia Cardinali on

    Cyntia,
    Rindo muito! Realmente a Itália tem dessas coisas… Algumas vezes que estive em Roma amei, outras odiei! Acredito que depende do nosso estado de espírito no momento da viagem, das pessoas que nos acompanham, e das variáveis que surgem no caminho (e claro, da nossa maneira de superar ou não esses contratempos). Ainda estou com o gostinho maravilhoso da nossa viagem com a Ana, que graças à Deus, entrou para a lista de viagens que amei!!! Beijos e Saudades de vocês, meninas!

  5. Cyntia, logo vc, dona de um dos MELHORES hostels de todo o BRASIL, ter uma decepção dessas com um hostel na Itália.. Poxa vida!
    Olha, também me assustei um pouquinho na estação Termini em Roma. Tudo muvucado demais, gente demais, turista demais, preocupação demais de me furtarem. Mas bastou uma voltinha pelas ruas maravilhosas de Roma para que aquela impressão mudasse. Definitivamente uma das cidades mais lindas que já visitei na vida!

  6. Douglas Teixeira on

    Nossa!! dá até medo de ir para não ter uma experiencia ruim, né? mas como uma amiga falou, é a mesma coisa que vc vir pela primeira vez em SP, ng tem paciência para nada aqui…rs

    • Ana Grassi on

      Douglas, continue lendo o relato de Cyntia e depois você volta aqui para me dizer se vale ou não a pena, ok? 🙂
      Baci,
      Ana

Deixe uma Resposta