Cyntia é colunista do blog e participou da Viagem Cultural ITALIAna em roma. Ela fez um diário de bordo que conta as aventuras e as desventuras de um turista pela primeira vez na Itália. São 10 capítulos que retratam sua opinião autêntica, divertida e picante sobre a Itália e os italianos. Aproveite!” (Ana Grassi)

Leia mais:

Capítulo 1: A Chegada

Capítulo 2: Frascati e Nemi

Capítulo 3: Em Roma, viva como os romanos

Capítulo 4: Pelos fóruns romanos

Capítulo 5: Visitar Roma não é fazer turismo… é reviver a história!

Capítulo 6: A Toscana melhor que nos filmes

Capítulo 7: Toscana, prazeres sem fim


As emoções e os sabores da Itália

Com uma saudade antecipada, deixamos a Toscana pra trás e voltamos para Roma. As aventuras programadas pela nossa ITALIAna não paravam por ali.

Fiquei com a incumbência de devolver o carro na locadora, então, “fui obrigada” a matar a aula de italiano mais uma vez (hihi…). Naquela tarde não teríamos programação, então, Ana me levou para conhecer o Eataly, o maior supermercado de alta gastronomia da cidade.

Caminhamos bastante pelas ruas de Roma, despreocupadamente. Parávamos e contemplávamos os pequenos detalhes daquela rica cidade, seus monumentos, os pedaços preservados da história e também o novo e o moderno.

Paramos em frente a um hotel super descolado. Ele tinha um design cult, com esculturas de pessoas na área externa. Ana e eu paramos pra algumas fotos “debochadas”, mas estávamos curtindo e contemplando o belo e a arte, em cada esquina daquela cidade.

Eataly de Roma

Chegamos ao Eataly: aquilo é uma loucura! Uma afronta a todos os seus sentidos – e pode se tornar um problemão pra você administrar no mês seguinte, quando a fatura do seu cartão chegar – os cheiros, as cores, a variedade de coisas que tem lá, a qualidade dos produtos, as novidades que vc não encontra no Brasil, enfim… dá vontade de morar lá dentro!

Leia sobre o Eataly de Roma, clicando aqui

Uma das coisas que mais me impressionou foi a sessão de “engarrafe você mesmo seu vinho”.  Sim, existem uns tonéis embutidos na parede e umas torneirinhas, de diferentes tipos e qualidades de vinho tinto e branco.Basta escolher uma garrafa, garrafão ou levar o seu de casa e simplesmente, “abastece-lo”. Adorei…divertido, delicioso e econômico!

A reconstrução do passado nos Fóruns Romanos

Relembrar momentos da história dos Fóruns Romanos, eu comigo mesma, independente do grande grupo que se reunia nas arquibancadas montadas para o espetáculo de luzes e holografias que reconstruiam o passado da civilização romana, me emociona, mais uma vez.

O espetáculo “Show di Augusto” foi sem sombra de dúvida um dos maiores presentes dessa minha viagem pela Itália (pelo qual eu agradeço a Ana por ter insistido que fizéssemos, pois vale muito a pena).

Entre as paredes, as colunas, as escadarias e os monumentos em grande parte, destruídos pelo tempo, holografias reconstroem a história romana, com luzes, imagens e sons e desvendam o passado dos templos, dos palácios, dos fóruns de administração, dos Césares, das dinastias, das lutas e da política, dos incêndios e das reconstruções. Contam a história de um povo forte, guerreiro, ambicioso e lutador.

São dois espetáculos: um é o show Fórum de Augusto, o qual você assiste sentado em arquibancadas montadas em frente ao Fórum. Um lindo espetáculo de contemplação, revelações e lembranças.

O outro, o show do Fórum de César, que é ainda mais emocionante, pois você, literalmente, caminha pela história. Com headphones individuais, vc faz um percurso à pé, parando em frente aos pedaços dos monumentos e edificações do passado, onde os mesmos são reconstruídos através do jogo de luzes e holografias.

É uma experiência fantástica, única e emocionante, que te coloca no centro da vida romana daquela época, te faz reviver aquele momento e sentir as vibrações e energias daquele período da história.

Simplesmente, inesquecível!

Uma “deliciosa” jovem senhora

Depois das fortes emoções da noite anterior, nos shows noturnos dos fóruns romanos, fomos passar o dia em Florença.

Mas nossa programação não era bater perna e entrar nas lojinhas da pequena cidade e sim, sorver algum conhecimento de uma jovem e linda senhorinha italiana, que dedicou grande parte de sua vida aos filhos, à gastronomia e à seus restaurantes italianos em Paris.

Fomos ao atelier culinário de Anna Bini (clique aqui para ler sobre a escola de Anna Bini).

Lá, Anna e seu filho nos esperavam com uma bancada de aprendizado toda montada e decorada com sua cor predileta: o pink.  Foram horas agradabilíssimas, e pudemos aprender, testar e provar a produção de massas caseiras e alguns tipos de molhos, tipicamente italianos, como o de tomate com manjericão e o de limão siciliano com queijo.

Outra experiência inesquecível, para o meu livrinho de recordações da Itália.

Resumindo: Ir à Itália é se entregar aos prazeres gastronômicos, mas não só isso: na minha opinião, ir à Itália é voltar de lá tendo aprendido alguma receita que vc consiga reproduzir na sua casa para seus amigos e familiares. É uma delícia vc aprender, com quem ensina com amor e conseguir reproduzir esse aprendizado; não tem preço!

 

 

Compartilhe!

Sobre o autor

Ana Grassi é especialista em língua, cultura e turismo para a Itália. Fundadora, autora e editora do blog ITALIAna, trabalha como travel designer há 10 anos; isso quer dizer que realiza o sonho dos viajantes que querem conhecer a Itália, com um roteiro personalizado e exclusivo!

Deixe uma Resposta